Press "Enter" to skip to content

O parlamento é uma bosta!!!

A democracia representativa nem é democracia nem representa ninguém. É um paradigma falido mantido por mentes tacanhas em um momento histórico horrível.

Vivemos o feudalismo, o iluminismos, o captalismo e já é hora de tentar alguma coisa nova. Alguma coisa que começou há mais de 200 anos e ainda é nova.

Em 1776 foi promulgada a constituição estadunidense que começa com as palavras “Nós, o povo”. Até hoje, as pessoas ainda não entenderam o que aqueles constituintes queriam dizer. Não há diferenças entre nós, todos temos o direito de opinar, votar e ajudar a conduzir nossos países e o planeta. Então, por que diabos, precisamos de um parlamento? Melhor, por que diabos precisamos de representates?

Há 100 anos, não seria possível que todos opinássemos. Não seria possível que para cada decisão fosse criado um debate nacional. Imagine um plesbicito por semana. Viveríamos em um caos, sem fim, sem começo e sem destino. Hoje é possível. E viva a tecnologia!

Hoje, não só posso participar de todos os debates que me interessam como tenho o poder de GRITAR minha opinião aos sete mares e cinco ventos. Hoje eu posso votar, quando e onde quiser, de forma segura, inviolável e transparente. Ainda assim, secreta. Então, novamente, por que diabos precisamos de representantes?

Para dar poder? Para gastar dinheiro? Para criar uma nova classe social? Ou para preservar o conceito de nobre, vassalo e peble. Ah!, já ia esquecendo, você é a peble, peble ignara. Assim como eu.

Não pensem que sou inocente, conheço a capacidade mental do brasileiro. Vivo estes problemas, sou um deles. Mas, o mais simples, humilde e ignorante brasileiro deste país é mais qualificado para defender seus interesses que qualquer um dos ditos representantes. Mesmo que os interesses dele sejam diferentes do seu. Há que ter o mesmo valor e o mesmo peso.

E também não sou louco. Mentira sou sim. Muito louco. Acredito que o problema tem solução. Que é possível progredir. Que é possível viver em um país justo, solidário e igualitário. Caso de camisa de força.

Poderíamos começar multiplicando nossa respresentatividade por 1000. Falo em um novo congresso com, pelo menos, 500.000 pessoas, de todos os lugares, salários, sociedades e educações deste país. Escolhidas em bairros, associações, clubes, fábricas e escolas. Todas voluntárias, todas trabalhando gratuitamente, todas votando e representando os interesses do seu bairro, clube, associação, fabrica ou escola. E, discutindo estes interesses nestes mesmos lugares, com estas mesmas pessoas. Comigo, com você, todos participando.

Acabei de ouvir Oh! Happy Day

Teriamos algum grau de representatividade. Este novo congressista teria que votar de acordo com a sua pequena comunidade, acompanhado de perto pela sua comunidade. Não teríamos custos, se comparado aos custos do congresso hoje, seria gratuito. Não teríamos influências, econômicas ou pessoais nos destinos da nação. Ainda assim, seria uma bosta.

É muito mais fácil influenciar 500.000 pessoas que apenas uma, mas é muito mais caro. Então, teríamos que começar comendo o mingau pela borda.

Primeiro, reduzimos o congresso atual para um terço do seu tamanho e acabamos com todas as câmaras de vereadores. Criamos este parlamento virtual e fazemos com que o que for decidido nele tenha o mesmo peso do voto de 50% do congresso que restar. Toda e qualquer medida deverá ser aprovada por 50% +1 voto e pronto. Aos poucos, vamos aprendendo a nos representar, garantimos um processo de transição que não vai levar o planeta ao extermínio e quem sabe, possamos evoluir um pouco com sociedade e espécie.

Então, responde aí! Tirando o seu medo. seu preconceito e sua ambição. Por que diabos, precisamos de representantes?

Foto de: Wikimedia Commons contributors, “File:Landsgemeinde Glarus 2006.jpg,” Wikimedia Commons, the free media repository, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?title=File:Landsgemeinde_Glarus_2006.jpg&oldid=161869545 (accessed August 17, 2017 ).